fotografia em película médio formato (2014-2020)


as antigas câmeras fotográficas brownie são uma série de máquinas de médio formato, muito simples e rudimentares, fabricadas por eastman kodak nos anos 1900. muito populares à época, são constituídas de um corpo de papelão e uma objetiva com um único elemento côncavo-convexo, destinadas a documentar cenas do cotidiano. desde 2012, utilizo uma câmera brownie em minha prática fotográfica, registrando em película 120mm, preto e branco, minhas viagens a buenos aires (2012), a paris (2016, 2017, 2019), a berlim (2019), ao marrocos (2019) e, mais recentemente, paisagens do quadrilátero ferrífero de minas gerais (2020). me fascina, nesta câmera, a economia de seus meios técnicos (sem regulagens de diafragma, sem troca de objetivas, sem zoom, sem necessidade de eletricidade por ser um aparato mecânico) e seu caráter estético (o grão, a textura, as imperfeições, o desfoque, a dupla exposição). seu uso me permite registrar em película fotográfica os traços da atualidade com os meios técnicos do início do século XX, estabelecendo assim a ligação entre uma ferramenta dos primórdios da história da fotografia e a realidade contemporânea.